• Menu
  • Menu
Sol Nasceu em Angkor Wat

O SOL NASCEU EM ANGKOR WAT

O despertador do celular tocou às 3h30. Dormi pouco por causa do jetlag, mas a saída da noite anterior ajudou um pouco. Nosso guia ia nos buscar às 4h e num grupo grande, é preciso colocar todo mundo pra frente. Mando mensagem pra todo mundo, reconfirmo o horário. Tomo um banho rápido, me troco e vou pra recepção esperar o guia e o resto do grupo. Eu estava muito ansioso, mas tinha trabalho a fazer também. Viajar com grupo é ajustar horários e organizar pra que todo mundo tenha suas expectativas atendidas e suas liberdades respeitadas.

Angko Boutique Hotel

Eu amo pesquisar e escolher hospedagem. E no sudeste asiático surgem muitas oportunidades para ficar em hotéis de ótimos níveis pagando valores interessantes. Costumo dizer que é um dos poucos lugares no mundo onde você consegue ficar num 5 estrelas pagando preço de Ibis. Para Siem Reap escolhemos um ótimo hotel 4 estrelas com piscina, quartos enormes, banheiros super confortáveis e atendimento de primeira. Vários serviços incluídos como: um uso da lavanderia, transfer de chegada e saída do aeroporto, drink cortesia no bar da piscina e um jantar incluído.

4h da manhã, todos a postos e nosso guia já estava lá com o motorista e o carro que nos levaria ao complexo de templos.

As 4h20 já estávamos no centro de visitantes do Complexo Angkor para comprar nossos tickets de 2 dias e visitar o Small Circle e o Big Circle, cada um num dia diferente. Nosso guia tinha uma fila especial pra comprar os tickets, por isso não ficamos mais do que 15 minutos aguardando. Pra visitar Angkor com guia é obrigatório que este seja cambojano. Uma forma de proteger e garantir emprego aos habitantes locais.

Os templos do complexo arqueológico de Angkor estão localizados nos arredores de Siem Reap e ocupam uma área de mais de 400km2. É considerado a maior estrutura religiosa construída e um dos tesouros arqueológicos mais importantes do mundo, tendo sido declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1992. Pra conhecer o melhor que o complexo tem a oferecer, pelo menos dois dias de visita são exigidos.

Outra vantagem de estar com um guia local é que nosso carro pode chegar ao estacionamento principal de Angkor Wat, a principal e mais bem preservada estrutura. Caso contrário, você vai ter que andar uns 15 minutinhos a pé. No estacionamento, você encontra algumas barraquinhas que vendem água, chapéu, café e lanches rápidos. E também encontra muita gente vendendo lenços, pashminas e chapéus. Para acessar os templos mulheres devem vestir algo que cubra os ombros e joelhos. Aos homens é restrito o acesso de bermudas e camisetas sem manga.

Como o sol ainda levaria alguns minutos para começar seu show, pudemos andar um pouco pelos arredores e um dos nossos teve que usar um banheiro, que lembra muito aquelas “casinhas”que tem no interior. Monges budistas ajudam na manutenção do local e aqui é preciso dizer: a estrutura de banheiros não é o que estamos acostumados a ver no ocidente. Sim, é uma barraquinha com um buraco no chão e um corregozinho passando embaixo e percebemos uma certa economia no fornecimento de papel higiênico. Tirem suas conclusões. Rs.

Passado o “aperto” de um dos nossos, o Thoun nos levou para o ponto que considerava mais interessante pra ver o sol nascer por trás do prédio principal do Angkor Wat. A essa altura eu já estava extasiado e não tinha visto nem um décimo do que tinha por lá. E eu lembrei do meu sonho de 12 anos, lembrei da emoção de ler o Zeca Camargo visitando aqueles templos na garupa de um mototáxi, lembrei das fotos preto e branco que ilustravam o livro. Eu agora via em todas as cores da manhã. Via o sol banhando meu sonho e inundando meu coração. Lembrei dos meus pais e irmãos, agradeci a Deus por aquele momento. Me senti realizado.

O nascer do sol em Angkor

Passado o “aperto” de um dos nossos, o Thoun nos levou para o ponto que considerava mais interessante pra ver o sol nascer por trás do prédio principal do Angkor Wat. A essa altura eu já estava extasiado e não tinha visto nem um décimo do que tinha por lá. E eu lembrei do meu sonho de 12 anos, lembrei da emoção de ler o Zeca Camargo visitando aqueles templos na garupa de um mototáxi, lembrei das fotos preto e branco que ilustravam o livro. Eu agora via em todas as cores da manhã. Via o sol banhando meu sonho e inundando meu coração. Lembrei dos meus pais e irmãos, agradeci a Deus por aquele momento. Me senti realizado.

Muita gente se juntava pra ver o espetáculo, afinal Angkor Wat recebe cerca de um milhão de visitantes por ano. Do meu lado, amigos e clientes que faziam da experiência algo ainda mais especial. Teve quem não conseguisse fechar a boca, teve quem chorasse de emoção, teve quem não tirasse o sorriso do rosto. E essa é mais uma das maravilhas que o Camboja faz.

Assistimos o nascer do sol e fomos explorar o templo. Construções impressionantes e bem conservadas. Nosso guia explicava como o hinduísmo e o budismo influenciaram a arquitetura. Angkor começou a ser construída por Suryavarman II após assassinar o rei, pulando sobre ele durante um passeio de elefante. Há quem diga que a suntuosidade e grandiosidade dos templos foi um recado de Suryavarman aos que questionavam sua legitimidade enquanto rei. Sua principal inspiração é o hinduísmo, religião predominante por influencia do monarca. A construção durou apenas 37 anos e foi interrompida com sua morte.  Nesse tempo, Angkor foi invadida e saqueada por inimigos vindos do Vietnan.

Monges andam pelo complexo Angkor

Pra quem gosta de arquitetura, é impressionante perceber os usos de perspectiva e simetria nos portões e terraços. Nos prasats, as alturas dos terraçoes e torres vão diminuindo discretamente, dando a impressão de que é tudo muito maior. Cercado por lagos e com formas simétricas, toda a organização e estrutura das construções foi pensada para te transportar para o microcosmo do universo hindu, que influenciou sua construção.

A cidade templo foi retomada anos depois por Jayavarman VII que expulsou os inimigos e ampliou as fronteiras.  Ele abandonou o hinduísmo, tendo se convertido ao budismo, que influenciou a arquitetura a partir daí. Ele é o rei que construiu Bayon e o Angkor Thon. É comum se deparar com os dois estilos de arquitetura ao visitar Angkor. Aqui faz toda a diferença visitar com um guia competente.

Por volta de 8h30 retornamos ao hotel para o café da manhã, que já nos esperava. Thoun nos deu ainda um hora de “descanso”e pudemos domir um pouquinho, já que havíamos pulado cedo da cama. Foi o suficiente pra recarregar um pouquinho a bateria e partir pro resto do circuito que incluiria Ta Prohm, o templo entre árvores onde foi filmado o Tomb Raider com Angelina Jolie. O dia prometia!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: